Pular para o conteúdo principal

Postagens

Fernando Pessoa

A palavra falada é um fenómeno natural; a palavra escrita é um fenómeno cultural. O homem natural pode viver perfeitamente sem ler nem escrever. Não o pode o homem a que chamamos civilizado: por isso, como disse, a palavra escrita é um fenómeno cultural, não da natureza mas da civilização, da qual a cultura é a essência e o esteio.
Postagens recentes

Almada Negreiros

Das muitas figuras que merecem destaque  no início do século XX em Portugal, Almada Negreiros é sem dúvida o artista mais completo e o que melhor se adapta ao conceito de vanguardista. Começou sua carreira artística fazendo desenho humorístico, colaborou com a revista Orpheu, tornou-se pintor, bailarino, coreógrafo, figurista, desenhador, autor de teatro e não fez distinção entre os setores da Arte. Em 1927, chega em Madrid  e integra-se à vida madrileña, dando mostra de sua intensa atividade cultural participando das tertúlias do Café Pombo e do Café La Granja El Henar, colaborando como ilustrador de diversas revistas e seguindo de perto as tertúlias de arquitetura do Café Zahara. rfequentou Federico García Lorca, Unamuno e Valle-Inclán. Enfim, cinco anos intensos que foram estudados por investigadores de diversas áreas e que foram reunidos no livro Almada Negreiros en Madrid, publicado pela UAM, e apresentado por ninguém menos que Nuno Júdice, na Feira do Livro.  Além de conhecer melh…

Cinema e literatura

O Telão começa falando sobre a resenha organizada pela Secretaría General Iberoamericana (SEGIB) que associa cinema e literatura. Do dia 05 ao dia 09 de junho, na Biblioteca Eugenio Trias, no Parque do Retiro, os cinéfilos e curiosos podem assisitir a filmes portugueses e brasileiros baseados em obras literárias dos dois países. O primeiro filme será Ensaio sobre a cegueira, de Fernando Meirelles inspirado no livro homônimo de José Saramago. Para quem tem restrições relacionadas à adaptação de obras literárias ao cinema, aviso que o trabalho de Meirelles agradou ao Nobel português, como podemos ver neste trecho do documentário José e Pilar:

Mas Ensaio sobre a cegueira não é o único caso de uma adaptação brasileira de uma obra portuguesa presente nesta resenha de cinema e literatura. O carioca Daniel Filho levou o clássico de Eça de Queirós, para o outro lado do oceano em 2007 e colocou o sotaque brasileiro nos personagens O primo Basílio. Portugal apresenta três filmes inspirados em livr…

Oquestrada

A Feira do Livro não é feita só de livros, conta também com shows, filmes, leituras dramatizadas e bilingues. Na noite do dia 27 de maio o grupo Oquestrada apresentou-se na Casa de Vacas do Parque do Retiro e quem conferiu o show pode dançar, ouvir boa música e rir com as brincadeiras da carismática vocalista,  Marta Miranda. O grupo português, ativo desde 2002, mescla música popular com fado e sons tradicionais com modernos e passa longe de rótulos e definições de gênero musical.  Oquestrada leva ao palco um resultado autêntico que associa guitarra portuguesa, uma contrabacia mais que original tocada por Jean Marc Pablo (foto abaixo), um acordeão e um trompete.

Em 2009 o grupo lançou Tasca Beat – O sonho português, no qual encontramos Oxalá, Se esta rua fosse minha e Senhora do Tejo. Em 2014 chegou o Atlantic Beat Mad’in Portugal, com O teu murmúrio, Parei na madrugada e Sweet old country (um fado europeu).
Não é nada difícil ficar com a música dos portugueses na cabeça e passar o dia …

Os portugueses são o motivo desta aventura

Quando eu estava na faculdade, um dos meus professores de literatura dizia que antes dos 40 anos ninguém escreve bons livros porque ainda não viveu o suficiente. Eu superei os 40 e não sei se um dia vou escrever um livro, bom ou ruim que seja, mas pensei que poderia compartilhar o que vejo e conheço. Amadureci a ideia durante muito tempo e decidi colocá-la em prática quando soube que Portugal seria o país homenageado.  E é deste modo que os portugueses tornaram-se a causa desta aventura. O Botequim PLE tem, como todos os botecos, conversas, um telão e uma trilha sonora. Nas conversas, compartilho um pouco do cotidiano, dos eventos que visito, atualidades, notícias ou sei lá o que ainda poderei incluir; o telão é o espaço para falar de programas de televisão, filmes e canais do youtube ou do facebook (e talvez de futebol); e a trilha sonora obviamente é para postar um pouco de música. Os botequins normalmente não têm uma biblioteca, mas o meu tem. Eu não podia deixar os meus amados livros…